Ameaças de morte a vereadores eleitos em Joinville serão investigadas pela Interpol

Ameaças de morte a vereadores eleitos em Joinville serão investigadas pela Interpol

Ameaças de morte a vereadores eleitos em Joinville serão investigadas pela Interpol

Ameaças de morte a vereadores eleitos em Joinville serão investigadas pela Interpol

As ameaças à vereadora eleita Ana Lúcia Martins (PT) e ao vereador eleito Alisson Júlio (NOVO), de Joinville, serão investigadas pela Interpol, a Organização Internacional de Polícia Criminal. A organização foi acionada pela Polícia Civil para colaborar nas investigações dos ataques sofridos por Ana Lúcia e Alisson logo depois das eleições, em 15 de novembro.

Situação semelhante ocorre em São Paulo, Minas Gerais, Paraná e Rio de Janeiro, onde vereadoras eleitas em 2020 também relataram ameaças de morte — muitas delas, iguais às recebidas pelos eleitos em Joinville, inclusive, com a mesma assinatura. Os delegados destas cidades estão mantendo contato para discutir as estratégias de investigação e, por isso, em grupo, fizeram o pedido de obtenção dos dados do remetente dos e-mails à Interpol. 

Um dos e-mails utilizados para enviar insultos e ameaças aos vereadores foi criado com registro de provedor na Suíça. Por isso, a polícia brasileira espera que Interpol solicite à empresa do provedor mais informações sobre o usuário. Segundo a Polícia Civil, mais detalhes sobre a investigação não podem ser divulgadas para não prejudicar os trabalhos.

Relembre o caso

Ana Lúcia Martins é a primeira mulher negra eleita na história de Joinville para compor o Legislativo — recebeu mais de 3,1 mil votos, a quarta maior votação na cidade. Ela sofreu uma série de ataques racistas antes mesmo de se eleger. Após os resultados das Eleições 2020, Ana Lúcia teve contas invadidas nas redes sociais. Três dias depois, sofreu ameaça de morte em comentários nas redes sociais.

> Ataques a vereadora motivam protesto contra racismo no Centro de Joinville

Nos comentários, o perfil que, em um primeiro momento, não possuía identificação clara e teve as postagens excluídas, escreveu frases como “agora só falta a gente matar ela e entrar o suplente que é branco” e “os fascistas mandaram avisar que ela que se cuide”. No fim daquela semana, a polícia encontrou o homem suspeito de ser o autor dos comentários. A família alegou que ele é esquizofrênico.

Um dia depois, Alisson Júlio, vereador mais votado de Santa Catarina em 2020, recebeu um e-mail com ameaças de morte e insultos ofensivos. Nas mensagens, o autor escreveu frases como “fica esperto Alisson, agora você também está na minha lista e também vai morrer se eu conseguir matar a Ana e sair vivo da casa dela. Eu também tenho seu endereço”.

> Suspeito de ameaças à vereadora Ana Lúcia é localizado em Joinville

Alisson registrou uma boletim de ocorrência e, no dia seguinte, o autor dos e-mails enviou uma nova mensagem ameaçando cometer o crime e se suicidar em seguida. Ele ainda voltou a escrever frases racistas em referência à vereadora eleita Ana Lúcia e o ofendeu referindo-se à condição física. Alisson nasceu com uma doença genética chamada Atrofia Muscular Espinhal (AME), do tipo 3, e utiliza cadeira de rodas para se locomover.​

fonte:https://www.nsctotal.com.br/noticias

Share This:

uvbbrasil


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Themetf